Começou em 2018 como um passatempo, inspirado num programa de televisão sobre arte em miniatura, mas rapidamente David A. Lindon percebeu que poderia fazer da recriação de aclamadas obras de arte uma profissão.

O antigo escultor britânico recriou com precisão seis obras de reputados artistas, como “O Grito”, do norueguês Edvard Munch e “A Noite Estrelada” e “Doze Girassóis numa Jarra”, do holandês Van Gogh. Apesar do tamanho das peças ser tão pequeno quanto a cabeça de uma agulha, David A. Lindon vendeu todas as peças, num valor superior a 90 mil libras (mais de 100 mil euros). 

O artista, natural de Bournemouth, explicou à BBC que teve de trabalhar arduamente para alcançar a perfeição nas miniaturas de arte, começando a recriar imagens de músicos famosos, como Freddie Mercury e Amy Whinehouse, que rapidamente chamaram a atenção. Mais recentemente, Lindon desafiou-se a si próprio a recriar famosas obras de arte, considerando que esta é uma “progressão natural” do trabalho que tem vindo a desenvolver nos últimos anos.

O processo de criação de obras em miniatura é semelhante ao utilizado em peças de dimensão normal, explicou o artista, acrescentando, contudo, que este trabalho exige “um maior foco na transposição de qualidades estéticas do original”. Para evitar distrações e estar completamente concentrado, Lindon trabalha durante a noite num “transe quase sem emoção” e dedica cerca de um mês a cada peça de plástico com uma largura de 5 milímetros.

Este é um trabalho que exige um “desafio físico e uma luta mental” de tal forma que o artista admite ter de se conter muitas vezes para não ficar nervoso. “Por vezes tenho de acalmar-me, controlar os meus nervos”, admitiu, acrescentando que a única coisa que realmente gosta nesse trabalho é quando finalmente termina as peças, uma sensação que descreve como “um alívio”, e as expressões no rosto das pessoas quando as observam pela primeira vez. “É fantástico”, acrescentou. As miniaturas de David A. Lindon estão em exposição no Centro de Media Lighthouse, em Wolverhampton, até ao próximo dia 29 deste mês.


 

Beatriz Céu