Dois militares russos morreram esta sexta-feira durante exercícios aéreos conjuntos com Minsk na Bielorrússia ocidental, perto da fronteira polaca, região no centro de uma crise migratória, foi anunciado.

Num comunicado citado por agências de notícias russas, o Ministério da Defesa russo disse que os paraquedas dos dois soldados não funcionaram corretamente quando saltaram "devido a uma forte rajada de vento súbita".

Apesar dos esforços dos médicos, os dois militares russos com contrato com o exército sucumbiram aos ferimentos", acrescenta o comunicado.

As vítimas faziam parte de um grupo de 250 paraquedistas russos que participaram hoje em manobras conjuntas com o exército bielorrusso.

Antes deste anúncio, o exército russo tinha indicado à noite que estes soldados já tinham regressado às suas bases na Rússia.

Segundo Minsk, aviões de transporte de tropas IL-76 russos e helicópteros das forças bielorrussas estiveram envolvidos nestas manobras na região de Grodno.

As manobras realizaram-se em plena subida das tensões entre a Bielorrússia e a União Europeia (UE) na região.

Alguns milhares de migrantes que querem chegar à Europa, principalmente do Médio Oriente, estão presos em condições difíceis na fronteira bielorrusso-polaca.

A UE acusa Minsk de orquestrar o afluxo de migrantes, inclusive através da emissão de vistos, para se vingar das sanções ocidentais impostas ao regime de Alexander Lukashenko no ano passado, na sequência de uma repressão brutal contra os opositores.

A UE congratulou-se com "progressos" hoje nos seus esforços para conter o afluxo de migrantes depois de ter assegurado restrições de voo do Médio Oriente para Minsk.

/ JGR