Os Estados Unidos negaram, esta quarta-feira, o estatuto de emigrantes temporários aos cidadãos desalojados das Bahamas, na sequência do furacão Dorian. O arquipélago foi evacuado depois de ter sido atingido pela tempestade, que chegou à categoria 5.

O estatuto permitia a estes desalojados que se instalassem em território norte-americano até que pudessem voltar para as Bahamas, que passaram pelo pior furacão da sua história.

Os Estados Unidos têm uma longa tradição de garantir apoio a refugiados neste tipo de situações, como guerras e catástrofes naturais, sendo que mais de 300 mil pessoas vivem nos Estados Unidos sob estas condições, segundo a Reuters.

Os cidadãos das Bahamas foram afetados pelo furacão Dorian e estão a enfrentar uma crise humanitária, e o governo norte-americano, parceiros internacionais e organizações privadas continuam a apoiar estas pessoas. A esta altura, não planeamos invocar o Estatuto Temporário de Proteção", pode ler-se na nota da Casa Branca, citada pela Reuters.

 

Teme-se que cerca de 2500 pessoas estejam desaparecidas nas Bahamas, à medida que o número de mortos vai aumentando, cifrando-se, para já, nos 50.