Um icebergue dezasseis vezes maior do que Lisboa separou-se da plataforma de gelo Amery, na zona Este da Antártida.

O bloco maciço de gelo chama-se D28 e possui uma área de 1,582 quilómetros quadrados.

Agora, o icebergue vai ter de ser monitorizado e seguido para não causar riscos às embarcações que traçam as suas rotas naquela área.

Desde os anos 60 que não existia um fenómeno destes. Porém, a comunidade científica não atribui as alterações climáticas como causa para a separação do D28, afirmando ser uma parte normal do ciclo de vida das plataformas de gelo a cada 60 ou 70 anos. 

As plataformas de gelo são essencialmente extensões flutuantes de glaciares que impedem o fluxo do gelo vindo de terra.

Estas plataformas separam-se dos icebergues como forma de manter o equilíbrio e contrabalançar a neve a montante. 

Mesmo assim,  este evento causou surpresas na comunidade científica.

Monotorizando há cerca de vinte anos um segmento da plataforma conhecido como “dente a abanar” ( por as suas imagens de satélite assemelharem-se a um dente prestes a cair ), os cientistas viram o D28 a soltar-se de uma zona vizinha. 

Comparando o tamanho entre o D28 e a zona do “dente a abanar”, a professora Helen Fricker, do Instituto Scripps de Oceanografia, afirmou à BBC que “é um molar comparado com um dente de leite”.

 

Fricker já tinha previsto este evento em 2002: “Estou entusiasmada por ver este evento depois de tantos anos. Sabíamos que eventualmente iria acontecer, mas, só para criar mais entusiasmo, não foi exatamente onde achámos que iria ser”.

É possível que a separação de um icebergue tão grande mude a geometria de tensão na parte frontal da camada de gelo. Isto pode influenciar a estabilidade da zona do “dente a abanar”.

O icebergue D28 tem cerca de 210 metros de espessura e contém pelo menos 315 mil milhões de toneladas de gelo.

As correntes marítimas vão agora levar o icebergue para Oeste, onde demorará vários anos para que se parta completamente e derrete.

Uma testemunha de um destes eventos registou em vídeo a separação de um icebergue no glaciar de Holgate, em maio de 2010.

/ HMC