Um deslizamento de terras ocorrido este domingo num cemitério perto da zona costeira de Génova, Itália, acabou por levar a que centenas de caixões tenham caído ao mar.

Construído há mais de 100 anos, o cemitério de Camogli fica numa falésia alta e instável.

O autarca da pequena cidade, que tem pouco mais de cinco mil habitantes, fala numa "catástrofe inimaginável", até porque, como referiu Francesco Olivari à CNN, a câmara estava a proceder a trabalhos em parte daquela zona rochosa.

Estávamos em trabalhos numa parte da zona rochosa, perto da área que caiu. Alguns sinais de fissuras eram possíveis de identificar. Decidimos fechar o cemitério", acrescentou.

Ao todo, é estimado que 200 caixões tenham caído ao mar, sendo que apenas 10 foram recuperados. Os números foram adiantados pelo responsável regional da Proteção Civil, que admitiu que recuperar os restantes caixões "vai depender do mar nos próximos dias".

Os trabalhos que estavam a ser conduzidos na costa pararam de súbito quando os operários deram por várias rochas a partirem-se.

A Proteção Civil da região da Ligúria já tomou conta da ocorrência, e encontra-se a avaliar a situação. Uma equipa de geólogos está a utilizar drones para que seja mais fácil de entender os verdadeiros estrados provocados pela derrocada, estando ainda em avaliação o eventual risco de novo deslizamento de terras.

António Guimarães