O conselho de ministros israelita vai reunir-se no domingo no planalto dos Golã, para aprovar a designação de um colonato com o nome do Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou esta quinta-feira o gabinete do primeiro-ministro.

Trump reconheceu, em 25 de março, a soberania de Israel sobre a parte dos Golã que o Estado judaico conquistou à Síria durante a guerra dos Seis Dias em 1967, e que depois anexou em 1981.

A ONU nunca reconheceu esta anexação e considera que Israel ocupa esta parte do planalto do Golã.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu fará votar pelo Governo a criação de uma nova localidade nos Golã com o nome do Presidente Trump”, indicou em comunicado o gabinete do primeiro-ministro israelita.

O conselho de ministros vai reunir-se no planalto do Golã este domingo para agradecer ao Presidente Trump ter reconhecido a soberania israelita sobre os Golã”, segundo o comunicado.

Netanyahu anunciou em abril que um colonato israelita nos Golã ocupado teria o nome de Trump.

Os media israelitas afirmaram que esta nova localidade será designada "Ramat Trump" (Monte Trump), e construída na parte norte do território.

Cerca de 18.000 sírios que pertencem à comunidade drusa – com a maioria a recusar cidadania israelita – ainda vivem nos Golã ocupados, onde foram instalados cerca de 22.000 colonos israelitas em 33 colonatos de povoamento.