O novo presidente cingalês, Gotabaya Rajapaksa, nomeou esta sexta-feira os 15 ministros do Governo, incluindo o irmão e antigo chefe de Estado para o cargo de primeiro-ministro, e prometeu convocar eleições legislativas.

A legislatura termina em agosto próximo e a Constituição do Sri Lanka permite que o presidente dissolva o Parlamento em março e convoque eleições legislativas, nas quais o partido de Rajapaksa deverá obter a maioria dos 225 lugares.

Gotabaya Rajapaksa era ministro da Defesa quando o irmão, Mahinda Rajapaksa era chefe de Estado (2005-2015). Ambos gozam do apoio da maioria étnica cingalesa que lhes atribui um papel decisivo no final da guerra civil.

No discurso à nação, quanto tomou posse, o novo líder do país prometeu dar prioridade à segurança e seguir uma política externa neutra. A ilha, situada no oceano Índico, ainda está a recuperar do atentado do grupo extremista Estado Islâmico, na Páscoa passada.

A vitória, no passado fim de semana, marca o regresso de uma família afastada do poder nas eleições de 2015 e frequentemente acusada de alegado nepotismo e de presumíveis violações dos direitos humanos durante o final da guerra de décadas com os rebeldes independentistas dos Tigres de Libertação Tamil Eelam, em 2009.

/ AM