“Os dois homens acusados no distrito de Gotemburgo são cidadãos suecos que foram para a Síria para lutar”, disse Qvarnstrom, segundo a TT.