A ilha italiana da Sicília pode ter registado a temperatura mais quente alguma vez sentida na Europa - 48.8ºC.

A leitura das temperaturas foi reportada pelas autoridades regionais em Siracusa, sendo que os dados precisam de ser verificados pela Organização Mundial da Meteorologia (OMM)

De acordo com a OMM, o recorde oficial até ao momento pertence a Atenas que, em 1977, registou 48.ºC.

A mais recente onda de calor que está a afetar a Itália é causada por um anticiclone - apelidado de Lucifer - que teve origem em África. Os anticiclones são áreas de intensa pressão atmosférica.

A previsão é que o anticiclone se dirija para o norte de Itália, elevando as temperaturas em cidades como Roma.

Em sequência, o Ministério da Saúde emitiu um comunicado a alertar para “zonas vermelhas” afetadas por calor extremo. Nestas áreas, têm sido verificados incêndios florestais de grande dimensão, especialmente em regiões como a Sicília, Calabria e Puglia.

Associações de Bombeiros disseram na quarta-feira que centenas de operacionais estiveram envolvidos em mais de 300 operações na Sicília e na Calábria durante um período de 12 horas.

Pelo menos três mortes resultaram do deflagrar das chamas, segundo a imprensa italiana.