A polícia de Phoenix, do estado do Arizona, desencadeou uma operação para descobrir quem engravidou uma mulher que estava em estado vegetativo há mais de uma década. O primeiro passo passa por recolher amostras de ADN de todas as pessoa que mantiveram contacto com a vítima no último ano. 

O caso, que está a abalar os EUA, já levou à demissão do diretor da clínica onde a mulher estava internada, a Hacienda HealthCare. Aparentemente, ninguém na clínica se terá apercebido que a mulher estava grávida até ela entrar em trabalho de parto.

De acordo com a CBS, o bebé nasceu no dia 29 de dezembro, é um rapaz e é saudável.

Uma fonte citada pela filiada local da CBS, a KPHO-TV, a mulher precisava de cuidados 24 horas por dia e muita gente tinha acesso ao quarto.

De acordo com a mesma fonte, a clínica tomou já medidas para prevenir incidentes futuros. Desde que a mulher deu à luz, os homens que entram em quartos ocupados por mulheres só o fazem acompanhados de mulheres da equipa.

A clínica assegura que está a cooperar com as autoridades. David Leibowitz, porta-voz da Hacienda HealthCare, diz que a clínica está "completamente comprometida em descobrir a verdade do que é, para nós, um assunto sem precedentes".