Este domingo os gregos vão eleger um novo parlamento para os próximos anos. As últimas sondagens apontam para a queda do Syriza (no poder) e a subida da direita conservadora.

As urnas abriram este domingo de manhã e vão encerrar às 17:00 horas de Lisboa.

Alexis Tsipras, o primeiro-ministro grego, exerceu o direito ao voto de manhã cedo. Aproveitou ainda a ocasião para apelar ao voto, no último comício, em Atenas, a capital do país.

Hoje é um dia dedicado à democracia. Os cidadãos gregos decidem o futuro do país nos próximos quatro anos - decidem as suas vidas. As urnas abriram pela manhã e estavam vazias. Portanto, a decisão de todos no momento da votação vai determinar o resultado eleitoral"

Em frente ao parlamento grego, na praça Syntagma, o líder do Syriza pediu aos apoiantes que fossem às urnas e levassem um amigo indeciso.

No entanto, uma parte importante do eleitorado grego deverá votar na oposição, nos partidos de direita.

Veja também

A Nova Democracia, formação de centro-direita agora liderada por Kyriákos Mitsotákis, poderá ganhar uma vantagem de nove a onze pontos e, assim, assegurar mais de 150 deputados. O suficiente para chefiar o próximo governo.

Para os analistas, o declínio do Syriza resulta, em certa medida, do agravamento da situação da classe média.

As eleições legislativas na Grécia estavam previstas para outubro, mas depois da derrota do Syriza nas eleições europeias de maio, Tsipras decidiu antecipá-las.