Uma teia de aranha gigante cobriu uma praia no oeste da Grécia. A teia, com mais de 300 metros, cobriu uma área de vegetação onde cresceu a família de aranhas por causa do tempo quente na região.

A cidade de Aitoliko viu aumentar o número de aranhas da espécie Tetragnatha, um fenómeno sazonal ligado ao clima de temperaturas altas, que traz mais mosquitos e, consequentemente, mais predadores aracnídeos.

As aranhas desta espécie costumam criar grandes teias de aranha para acasalamento e embora deixem visível a sua presença, não são perigosas para os humanos nem para a vegetação.

"Estas aranhas não são perigosas para humanos e não causam danos à flora local. Elas farão a festa de acasalamento e acabarão por morrer”, afirmou Maria Chatzaki, professora de Biologia Molecular da Democritus University of Thrace, na Grécia, à imprensa local.

A especialista explicou que temperaturas mais altas e condições suficientes de humidade e de alimento criaram o ambiente ideal para estas aranhas se reproduzirem em larga escala.