O candidato apoiado pelo presidente francês, Emmanuel Macron, nas eleições para a câmara de Paris, desistiu esta sexta-feira da corrida depois de um vídeo pornográfico em que alegadamente está envolvido ter sido divulgado na internet.

Benjamin Griveaux, antigo porta-voz do governo francês, reagiu esta sexta-feira à publicação do vídeo, afirmando que “um site lançou ataques” à sua “vida privada”. 

A minha família não merece isto. Ninguém deveria ser sujeito a tais abusos”, disse em comunicado.

O vídeo chegou às redes sociais através de uma publicação no blog do artista russo Piotr Pavlenski que partilhou o vídeo, juntamente com mensagens de cariz sexual alegadamente escritas por Griveaux a uma mulher cuja identidade não foi revelada.

 

O candidato a Paris justificou a desistência pelo facto de não querer que a sua família sofra com a exposição.

É uma decisão difícil, mas não quero colocar a minha família em risco”, disse, sublinhando que o seu projeto para a câmara de Paris “vai continuar sem mim”. 

Griveaux anunciou a decisão no canal BFM TV, não divulgando se ele tinha ou não participado no vídeo.

A desistência é um golpe no partido de Macron, A República Em Marcha (REM), nas eleições para a autarquia de Paris. 

Benjamin Griveaux disse à Agência France-Presse que conversou com o presidente francês esta quinta-feira e que Macron garantiu que apoiaria o candidato qualquer que fosse a sua decisão.

 

 

A candidata socialista Anne Hidalgo e o independente Cedric Villani, ambos na corrida pela eleição para a câmara de Paris, publicaram mensagens de apoio ao antigo rival nas redes sociais.

 

 

Hidalgo pediu mais “respeito pela privacidade”.

O candidato independente descreveu a publicação do vídeo como “uma séria ameaça à democracia”.

Apoio completamente Benjamin Griveaux e a sua família”, escreveu Cedric Villani no Twitter.

/ HCL