O tigre que matou a tratadora Rosa King, de 33 anos, no jardim zoológico de Hamerton, no Reino Unido, não vai ser abatido.

A decisão de não sacrificar o animal foi tomada pela equipa do jardim zoológico, em conjunto com a família da vítima

“Depois de uma extensa consulta com a equipa do zoológico, decidimos não abater o tigre. Esta decisão foi totalmente apoiada pela família de Rosa”, esclareceu o zoo, em comunicado.

 

"Estamos a aguardar os resultados da investigação para entender por completo o que aconteceu, antes de tomar medidas adicionais sobre o assunto. Se recebermos orientação regulamentar ou profissional no sentido contrário, reavaliaremos a nossa posição."

A investigação à morte de Rosa, - num episódio que o parque descreve como um “acidente anormal”- , continua a ser investigada.