O Havai está a pagar para que os turistas saiam das ilhas do arquipélago, a propósito da pandemia causada pelo novo coronavírus. De acordo com a CNN, o estado norte-americano reservou mais de 23 mil euros para devolver à origem todos os visitantes que se recusem a cumprir quarentena, à chegada.

A capacidade de mandar as pessoas de regresso a casa de forma rápida durante a crise do coronavírus ajuda as autoridades a garantir o sucesso das nossas medidas de emergência em todo o estado", explicou, em comunicado, a procuradora-geral do arquipélago, Clare Connors. 

O Visitor Aloha Society, um grupo sem fins lucrativos que ajuda os turistas com problemas durante viagens, é a entidade responsável por organizar a viagem de saída do Havai e por pagar todos os custos que o turista não consiga suportar. 

Quem não cumprir as ordens do estado pode ser condenado a um ano de prisão ou a uma multa de mais de quatro mil euros. Desde o início do estado de emergência, a 1 de abril, já foram mandadas para casa nove pessoas.

A 6 de abril, o responsável pelo turismo do Havai enviou um comunicado a vários meios de comunicação a pedir para que não promovam viagens às ilhas. 

O nosso maior medo é que esta pandemia sem precedentes sobrecarregue o serviço de saúde. É nossa responsabilidade assegurar a segurança dos visitantes e dos residentes e, por isso, peço que tudo o que se escreva sobre o Havai seja no sentido de desencorajar os turistas de nos visitar até novas indicações"

No mês da Páscoa, o arquipélago costuma receber cerca de 30 mil turistas por dia. Na semana passada, recebeu apenas 160, um numero baixo que, ainda assim, é mais alto do que o desejado pelas autoridades locais.

No Havai, até agora, morreram 12 pessoas vítimas de infeção pelo novo coronavírus.

Carolina Brás