A princesa Haya Bint Al-Hussain tinha pedido proteção da justiça britânica e acusava o ex-marido, um Sheikh do Dubai, de sequestro, tortura e perseguição e intimidação. Ao fim de oito meses, um tribunal britânico deu-lhe razão.

No início do verão do ano passado, a princesa Haya fugiu do Dubai, juntamente com os seus dois filhos, dizendo aos mais próximos que temia pela vida.

O Sheikh Mohammed Bin Rashid Al-Maktoum, atual primeiro-ministro e vice-presidente dos Emiratos Árabes Unidos, tentou manter o julgamento em segredo e longe do acesso dos jornalistas. Porém, viu o seu recurso ser rejeitado, por ser considerado um caso de interesse público.

De acordo com a BBC, os magistrados consideraram Mohammed Bin Rashid Al-Maktoum “pouco honesto com o tribunal”.

Como governante de um país, eu não estava apto a participar neste processo de averiguações. Isto resulta de um processo de averiguações que, inevitavelmente, só conta um lado da história”, justificou o Sheikh

Mesmo depois da sentença, o governante insiste em manter o caso no foro privado e pede “respeito pela privacidade dos filhos”.

Manuela Micael