Centenas de pessoas que tiveram de cumprir duas semanas de quarentena num hotel do estado de Vitória à chegada à Austrália, devido à covid-19, vão ser testadas ao VIH (sida) após contaminação dos testes de sangue que realizaram à glicémia.

As autoridades de saúde australianas já conseguiram contactar parte dos 243 hóspedes que tiveram de cumprir isolamento obrigatório entre 29 de março e 20 de agosto naquele que é o estado mais afetado pela pandemia de covid-19, com a grande maioria dos casos e mortes registadas no país.

Alguns dos aparelhos usados para a realização dos testes de glicémia foram utilizados por mais do que uma pessoa, o que obriga a que agora sejam despistadas doenças como a sida ou as hepatites B e C.

Ou seja, apesar de agulha que pica o dedo ter sido trocada a cada utilização foram encontrados vestígios de sangue no corpo do dispositivo usado para o teste.

O caso foi descoberto em agosto por enfermeiras do hospital universitário The Alfred Hospital, em Melbourne, capital de Vitória. E foram precisas várias semanas para analisar 28.000 registos médicos e encontrar os casos suspeitos.

A Safer Care Victoria, agência estatal de saúde pública, esclareceu, na segunda-feira, que o risco de contaminação ou infeção é baixo, mas que existe. O mesmo risco não se aplica à covid-19, sublinharam, uma vez que a doença causada pelo novo coronavírus não se transmite pelo sangue.

O governador do estado de Vitória, Daniel Andrews, já considerou o incidente "um erro clínico".

Catarina Machado