A polícia holandesa informou hoje que continua a procurar um suspeito do sexo masculino que esfaqueou na sexta-feira três adolescentes, numa zona comercial bastante movimentada no centro da cidade de Haia, Holanda.

Estamos a usar todos os nossos meios disponíveis (…) para encontrar o suspeito do esfaqueamento o mais rápido possível", indicou a polícia num comunicado, citado pelas agências internacionais, apelando novamente à colaboração de eventuais testemunhas do incidente.

Entre os meios referidos pelas autoridades estão as imagens de vídeo das várias câmaras de vigilância que estão montadas na zona comercial onde ocorreu o incidente.

As três vítimas do esfaqueamento são duas raparigas de 15 anos e um rapaz de 13 anos.

As vítimas, que não se conheciam, foram transportadas para um hospital e já tiveram, entretanto, alta hospitalar.

Os três adolescentes também já falaram com os responsáveis pela investigação deste incidente.

Este esfaqueamento em Haia aconteceu algumas horas depois de um homem, que envergava um colete com explosivos falsos, ter esfaqueado várias pessoas em Londres.

Duas pessoas morreram no ataque na capital britânica e o atacante, que estava referenciado pela polícia e tinha sido condenado em 2012 por crimes de terrorismo, foi morto a tiro pelas forças policiais.

A polícia britânica está a tratar o caso como um ataque terrorista.

Os motivos que terão desencadeado o incidente em Haia permanecem desconhecidos.

“Estamos a manter todos os cenários em aberto”, referiu a polícia holandesa, no mesmo comunicado.

Após o incidente, a zona comercial em Haia foi isolada pela polícia, tendo sido hoje reaberta.