Um jovem brasileiro acusado de matar e desmembrar dois tios e dois primos em agosto de 2016 foi, esta quinta-feira, condenado em Espanha a prisão perpétua, pena ainda passível de revisão por uma juíza.

A juíza Maria Elena Mayor Rodrigo leu hoje a sentença aplicada a Patrick Nogueira, que foi também condenado a pagar uma indemnização de 120 mil euros aos pais dos tios e de 18 mil euros para cada um dos seus irmãos.

Patrick Nogueira, de 21 anos, assistiu à leitura da sentença na prisão, através de videoconferência, e, de acordo com a agência Efe, não mostrou reação à condenação.

O réu havia sido considerado culpado de homicídio premeditado e violência contra menores por um júri, no início do mês.

Patrick Nogueira, de 21 anos, saiu para o Brasil precisamente na altura em que cometeu o quadruplo homicídio, que ocorreu em Espanha a 17 agosto de 2016, na aldeia de Pioz, perto de Guadalajara.

Na altura dos homicídios, em 2016, os tios de Nogueira tinham cerca de 40 anos e os seus primos um e quatro anos de idade.

Patrick voltou a Espanha em outubro de 2016, entregando-se à polícia, depois desta ter encontrado restos mortais das vítimas em sacos de plástico na sua casa.

Os advogados do apelidado "desmembrador de Pioz" tentaram provar que o brasileiro sofria de "um distúrbio mental provisório", para tentar atenuar a pena.

Contudo, os nove jurados do tribunal consideraram que o homicida "planeou os seus atos e estava consciente das consequências" dos mesmos.

Ele sabia a distinção entre o bem e o mal", declararam os jurados.

Os procuradores acusaram Nogueira de decepar os seus tios com tesouras de poda.