Um homem estava a investigar uma floresta para o seu clube de orientação no oeste da Suécia, perto de Gotenburgo, quando, de repente, encontrou um tesouro da Idade do Bronze que pode ter até 2.500 anos.

Com cerca de 50 peças, desde colares, a braceletes e a adereços para a roupa, o conjunto estava no meio da floresta, perto de uma zona de rochas.

O sortudo foi Thomas Karlsson, que à primeira desvalorizou o material: "Olhei melhor e vi que eram jóias antigas", contou, em conversa com a BBC.

Para os especialistas, este terá sido um tesouro deixado como oferenda aos deuses, uma vez que naquele tempo era comum fazer-se isso, sobretudo junto a rios e ribeiros, como é o caso.

O local tinha sido parcialmente escavado por animais, o que acabou por deixar parte do tesouro à vista. Acredita-se que os itens sejam datados do período 750-500 antes de Cristo.

Foi por acaso que Thomas Karlsson descobriu o tesouro. Estava a olhar o mapa, quando deu por algo reluzente. Reparando que o material estava em tão boas condições, pensou tratarem-se de cópias. De qualquer forma, decidiu enviar um e-mail a um arqueólgo local.

Mr Karlsson said he had spotted the metallic glint while looking down at a map he was working on. At first he thought the ornaments were copies, as they were in such good condition. Then he emailed a local archaeologist while having a coffee in the forest, regional newspaper Goteborgs-Posten reported.

Chegado ao local, o especialista, acompanhado de colegas, confirmou que se tratava de uma oferenda, muitas vezes dada aos deuses para que a vida possa continuar depois da morte.

Segundo a lei sueca, qualquer pessoa que encontre antiguidades deve notificar a polícia ou a autoridade local, uma vez que o material é considerado propriedade do Estado. Eventualmente, o Conselho do Património Nacional da Suécia pode decidir por entregar uma recompensa a quem achou o artefacto, algo que Thomas Karlsson ainda não sabe se vai acontecer.

Embora reconheça que uma "recompensa seria bom", o homem diz que não é isso que importa.

É divertido fazer parte da história. Sabemos tão pouco daquele período, porque não existem coisas escritas", acrescentou.

A Idade do Bronze proliferou na Escandinávia entre os anos 1700 e 500 antes de Cristo, sendo depois sucedida pela Idade do Ferro, altura em que apareceram os vikings.

A descoberta de Thomas Karlsson acabou por fazer com que vários especialistas se tenham concentrado naquela floresta, onde agora se procuram mais vestígios.

António Guimarães