Decisão tomada pela câmara de Roma, presidida por Virginia Raggi, e guerra aberta com a Igreja Católica: em causa, o destino dos cerca de milhão e meio de euros recolhidos anualmente na Fonte de Trevi, com a recolha das moedas atiradas pelas multidões de turistas que visitam a "Cidade Eterna", a capital italiana.

Tradicionalmente, o dinheiro recolhido é doado a instituições de caridade católica para ajudar os mais pobres. Mas, em dezembro, a autarquia aprovou uma medida, que foi entendida como uma forma de aplicar a verba recolhida na melhoria das infraestruturas bastante degradadas da cidade.

Com o risco de perder a generosa receita, a Caritas, rede de organizações humanitárias da Igreja Católica, veio a terreiro, crucificar a câmara de Roma presidida por Virginia Raggi, eleita pelo partido antissistema "Movimento 5 Estrelas", dizendo que a perda da verba iria atingir os mais pobres.

Não previmos esse resultado", disse o diretor da Caritas, padre Benoni Ambarus, ao Avvenire, jornal oficial da Conferência Episcopal Italiana, acrescentando esperar que o veredito "não seja definitivo".

Água na fervura

Com a polémica instalada e a guerra aberta, com enormes críticas a surgirem nas redes sociais, Virginia Raggi, cuja popularidade tem vindo a baixar por não conseguir resolver os problemas da cidade, acabou por considerar que havia apenas "um mal-entendido".

Em entrevista ao L'Osservatore Romano, o jornal oficial do Vaticano, a autarca assegurou que o dinheiro recolhido na Fonte de Trevi e noutras existentes na cidade de Roma continuará a ser receita da Caritas. Apenas, será a autarquia a fazer a recolha, separação e contabilização das moedas.

Em dezembro último, aprovámos uma medida que foi mal interpretada. É um ato administrativo devido à necessidade de coletar e quantificar as moedas que os turistas lançam, não apenas na Fonte de Trevi, mas também noutras fontes monumentais de Roma. Um ato administrativo que visa trazer ordem e transparência. Agora, em vez disso, turistas e cidadãos finalmente saberão quanto é coletado e a quem é destinado. E a Caritas também poderá planear suas atividades de caridade com mais facilidade. Ainda terá mais fundos", afirmou Virgina Raggi.

 

A "Fontana di Trevi", que tem quase 300 anos, é visitada por milhões de turistas todos os anos, que atiram moedas à água, de costas para o monumento, fazendo um pedido secreto. Trata-se de uma tradição que ficou famosa devido ao filme "A Fonte dos Desejos", de 1954, do realizador Jean Negulesco, em que a canção com o título do filme "Three Coins in the Fountain" é interpretada por Frank Sinatra.