A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou esta quinta-feira um projeto de lei que permite a legalização de cerca de 2,5 milhões de Sonhadores (Dreamers) - jovens que vieram para os Estados Unidos ilegalmente quando eram ainda crianças - bem como de milhares de outros imigrantes que têm vistos humanitários por terem fugido de guerras e desastres naturais.

Um segundo projeto, que será votado nesta sessão, prevê a possibilidade de legalizar um milhão de trabalhadores agrícolas que trabalham ilegalmente nos EUA e que, segundo a estimativa do Governo, representam metade dos trabalhadores agrícolas do país.

No entanto, estes projetos serão muito provavelmente chumbados no Senado, que está dividido entre democratas e republicanos. Os 50 democratas precisarão de pelo menos dez votos do Partido Republicano. 

As perspetivas não são animadoras para o objetivo ambicioso do presidente americano, Joe Biden, de atribuir a cidadania a todos os 11 milhões de imigrantes ilegais nos EUA. Entre as medidas, além de facilitar a atribuição de vistos, Biden quer melhorar a segurança na fronteira e apoiar financeiramente a América Central para aliviar os problemas que levam as pessoas a deixar os seus países.

No debate da Câmara de Representantes, os republicanos insistiram que qualquer legislação sobre imigração deveria prever também o aumento da segurança na fronteira mexicana. O Partido Republicano acusou os congressistas democratas de ignorar o problema existente atualmente na fronteira com o México e o presidente Joe Biden de alimentá-lo revertendo as políticas restritivas do ex-presidente Donald Trump.

Este é um dia muito especial para nós",  disse a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi. "Estamos realmente a fazer a diferença no modo como respeitamos a diversidade da América e o facto de a imigração revigorar constantemente o país."

“Eles são uma parte importante do nosso país”, disse Pelosi, sobre os Sonhadores, que, como muitos imigrantes, ocuparam empregos na linha de frente durante a pandemia. “Essas comunidades de imigrantes fortalecem, enriquecem e enobrecem a nossa nação e devem ter autorização para ficar.”

Já os republicanos têm uma posição bem diferente: “Não sabemos quem são essas pessoas, não sabemos quais são as suas intenções”, disse a deputada Jody Hice, sobre a possibilidade de os trabalhadores agrícolas imigrantes poderem pedir a cidadania. “É assustador, é irresponsável, põe em risco vidas americanas”.

O debate segue para o Senado num momento em que tem aumentado o número de imigrantes - muitos deles ainda menores - que chega à fronteira do México e que tenta entrar ilegalmente no país, depositando a sua esperança nas novas políticas de Biden.

Maria João Caetano