O Presidente dos Estados Unidos indicou, no domingo, que vai deslocar-se à fronteira com o México numa data ainda por determinar, devido ao aumento de imigrantes indocumentados, muitos dos quais menores não acompanhados.

"A certa altura, sim", disse Joe Biden, numa resposta aos jornalistas sobre quando planeava visitar a fronteira.

A administração norte-americana, neste caso representada pelo secretário da Segurança Interna, Alejandro Mayorkas, defendeu a gestão da crise da imigração e enviar uma mensagem clara: "Não venham para os EUA".

Biden disse que além de lançar esse 'slogan', a administração vai tomar mais medidas.

Estamos agora no processo, incluindo a garantia de restaurar o que existia antes", quando os imigrantes podiam ficar nos EUA e arquivar os casos a partir dos países de origem, acrescentou.

Nas principais estações de televisão norte-americanas, Mayorkas repetiu o apelo das autoridades aos imigrantes para não viajem para o país.

Sobre o tempo que levará o executivo a mudar o sistema de imigração, o secretário observou que vai ser "o mais cedo possível", sublinhando que "é difícil porque todo o sistema foi desmantelado pela administração anterior".

Existia "um sistema estabelecido tanto durante administrações republicana e democrática, que foi destruído durante a administração" do ex-Presidente Donald Trump (2017-2021), disse.

"O que estamos a fazer é abordar as necessidades humanitárias desses menores de forma a refletir os nossos valores e os nossos princípios como país", disse Mayorkas, que na sexta-feira se deslocou à fronteira de El Paso, no Texas.

Trump, ainda o líder mais popular entre os republicanos, reagiu a estas declarações e afirmou que entregou à administração Biden "a fronteira mais segura da história".

O ex-Presidente defendeu que a construção do muro na fronteira com o México, uma das prioridades de Trump travada por Biden no primeiro dia na Casa Branca, fosse retomada, acrescentando que os tráficos de drogas e de seres humanos estão a aumentar na fronteira dos EUA.

/ MJC