Um relatório divulgado pela imprensa este sábado desmente o governo grego e afasta a tese de fogo posto como causa do incêndio que já matou 88 pessoas.

A vítima mais recente é uma mulher de 42 anos que morreu no hospital, onde várias vítimas permanecem internada em estado grande, adiantou o Ministério da Saúde em comunicado.

Entretanto, terá caído por terra a narrativa de fogo posto lançada pelo executivo de Atenas para explicar a tragédia de Mati. Um relatório dos serviços de bombeiros aponta negligência de um habitante de Daou Pendeli, onde deflagraram as chamas domingo passado. Uma queimada que acabou por se descontrolar e se agigantou levada pelo vento.

Segundo fonte citada pelo jornal Ekathimetrini, a investigação conhece a identidade do incendiário involuntário que, concluiu o relatório, tentou esconder as provas, tapando com pedras a área onde fez a queimada, largando sobre ela grandes quantidades de água.

Noutra frente da tragédia, seja em terra ou no mar, prosseguem as buscas pelas ainda dezenas de desaparecidos. as autoridades gregas acreditam que muitas pessoas procuraram refúgio nas águas quando fugiam das chamas e do fumo.

O primeiro-ministro da Grécia assumiu a responsabilidade política pela tragédia e prometeu corrigir o perigoso desordenamento do território, mas quanto a consequências políticas, nada. Tsipras não demite ninguém.

/ (Atualizada às 12:44) ALM