O Ministério Público da Venezuela (MP) emitiu um mandado de detenção contra dois humoristas, incluindo um lusodescendente, que acusa de incitar ao ódio contra um apresentador do canal de televisão venezuelano Venevisión, através das redes sociais.

O anúncio foi feito pelo procurador-geral da Venezuela, Tarek William Saab, através da rede social Twitter, onde divulgou uma cópia dos mandados de detenção.

Foram emitidos mandados de detenção, a pedido do Ministério Público, contra os indivíduos Jean Mary Curro Galícia e José Gonçalves, que utilizaram criminosamente as redes sociais para incitar ao ódio contra David Capella, enquanto agonizava junto do seu pai", anunciou.

Segundo a imprensa local, os humoristas terão usado as redes sociais para acusar o falecido apresentador de televisão Dave Capella, sem o nomear, de tentativa de burla, através de uma campanha de recolha de fundos na internet, usando a página GoFundMe.

As acusações foram feitas em 23 de fevereiro, quando Dave Capella se encontrava hospitalizado, juntamente com o pai, ambos vítimas mortais do novo coronavírus, através do podcast "Nos reiremos de esto" ("Vamos rir-nos disto").

Após a morte, os humoristas, que segundo a imprensa local vivem entre a Venezuela e os Estados Unidos, pediram desculpas por terem questionado a idoneidade do apresentador de televisão.

A emissão dos mandados de detenção contra os humoristas ocorre numa altura em que a Assembleia Nacional da Venezuela, onde o chavismo é maioria, promove uma reforma da Lei de Responsabilidade Social em Rádio, Televisão e Meios Eletrónicos, que o Colégio Nacional de Jornalistas diz ter como propósito "insistir em legitimar" a censura e "criminalizar a opinião".

/ JGR