Um homem terá morto a esposa e atirado os seus três filhos ao canal de Bihar, na Índia, após a mulher ter alegadamente se recusado a ter relações sexuais com ele.

Segundo informações da polícia a orgãos de comunicação social indianos, o agressor terá disparado contra a mulher porque a vítima se “recusou a ser fisicamente íntima” durante 15 dias. O suspeito está acusado de homicídio.

Os corpos das crianças ainda não foram encontrados no canal”, disse Deshraj Singh, o chefe da divisão da polícia de Bihar ao jornal Indian Express, sublinhando que as operações de busca devem prosseguir até ao fim da semana.

Pappu Kumar, de 37 anos, tentou escapar após matar a esposa, de 36, e os filhos, de cinco anos, três anos e 15 meses. No entanto, a polícia conseguiu deter o suspeito numa área florestal.

Após matar a mulher, o agressor estava preocupado pelo destino das crianças, então matou-as”, disse fonte policial ao jornal Times of India.

Os incidentes de violência doméstica aumentaram consideravelmente nos últimos dois anos de pandemia. Na Índia, de acordo com dados oficiais, a Comissão Nacional para Mulheres (NCW) registou um aumento de 250% nas denúncias em abril do ano passado.

As denúncias deste tipo de crime também aumentaram internacionalmente. De acordo com o American Journal of Emergency Medicine, quando a pandemia começou, os crimes de violência doméstica aumentaram 300% em Hubei, China, 25% na Argentina, 30% no Chipre, 33% em Singapura e 50% no Brasil.