Um dos presumíveis cérebros dos atentados de Bombaim, Índia, e que causaram 166 pessoas em 2008, foi novamente detido, mas no âmbito de um caso separado de financiamento ao terrorismo, anunciaram hoje as autoridades paquistanesas.

Zakiur Rehman Lakhvi, de 60 anos, é um dos líderes do agora proibido Lashkar-e-Taiba (LeT), a ala armada do Jamaat-ud-Dawa (JuD), uma influente organização islâmica paquistanesa que a Índia suspeita estar ligada aos ataques em Bombaim.

Foi detido na cidade de Lahore (leste) onde dirigia uma clínica, informaram em comunicado os serviços antiterroristas do estado paquistanês de Punjab.

O indivíduo estava a utilizar a clínica para angariar fundos para as suas atividades terroristas, acrescentaram.

Zakiur Rehman Lakhvi foi libertado da prisão em 2015. Foi um dos sete suspeitos acusados e presos no Paquistão em ligação com os ataques em Bombaim.

A libertação de Lakhvi sob fiança tinha sido ordenada em várias ocasiões pelo poder judicial paquistanês, mas tinha sido lenta a materializar-se, no decurso de uma saga política e judicial que tinha afetado as relações entre o Paquistão e a Índia.

Em fevereiro de 2020, outro dos alegados responsáveis pelos ataques, Hafiz Saeed, foi condenado pelos tribunais paquistaneses a cinco anos e meio de prisão.

/ LF