Navios da Marinha de Guerra da China estão ao largo de Bali para participar nas operações de recuperação do submarino indonésio que se afundou na semana passada com 53 homens a bordo, anunciou hoje a Armada da Indonésia.

Dois navios de Pequim estão na zona e aguarda-se um terceiro, acrescenta o mesmo comunicado oficial.

O embaixador de Pequim em Jacarta propôs ao ministro da Defesa da Indonésia, Probowo Subianto, ajuda na recuperação do submarino.

A oferta foi aceite pelo governo da Indonésia", disse a Marinha de Guerra de Jacarta, sublinhando que os navios chineses podem operar até 4.500 metros de profundidade.

A chegada dos navios chineses à zona ocorre depois de os navios da Austrália, Singapura e da Malásia, que participaram na localização do submarino, terem abandonado a área. 

As autoridades estudam diversas técnicas para recuperarem o KRI Nanggala 402, que se partiu em três secções a 800 metros de profundidade. 

É possível que seja utilizado um robot e balões de emersão, estando oficiais dos dois países a analisar todas as informações disponíveis sobre o submarino.

A Indonésia conta ainda com a presença de dois navios civis que podem colaborar nas operações. 

O submarino de fabrico alemão, que desapareceu no passado dia 21 de abril é um dos cinco da frota de submarinos da Marinha de Guerra da Indonésia.

O navio desapareceu dos radares depois de exercícios navais ao largo do arquipélago de Bali.

Após vários dias de buscas, as Forças Armadas da Indonésia anunciaram a descoberta dos destroços do submarino, partido em três.

Os 53 membros da equipagem morreram.

Ainda não foi explicado o motivo que provocou o desastre.

/ LF