Marcelo Natali tinha 57 anos e foi um dos rostos da situação desesperante que os profissionais de saúde estão a enfrentar no combate à pandemia de Covid-19. 

Na semana em que acusou positivo para o novo coronavírus, o médico foi entrevistado pelo canal Euronews. Explicou as dificuldades e queixou-se de falta de material e más condições de trabalho. 

As luvas esgotaram. Certamente não estávamos preparados para lidar com esta situação”, disse no mês passado em entrevista.

Marcelo Natali morreu esta quarta-feira vítima de Covid-19 e depois de lutar contra uma pneumonia severa, afirmou a Federação Nacional de Profissionais de Saúde italiana. 

Natali trabalhava em Codogno, onde o surto de coronavírus na Itália teve origem, e tratou dezenas de pacientes ao mesmo tempo que o número de casos confirmados ascendeu a um ritmo feroz. Deixou dois filhos.

Silvestro Scotti, presidente da Federação Nacional de Profissionais de Saúde escreveu no Facebook que já não tem “mais lágrimas".

  

Esperei poder rir com ele amanhã e que a notícia da sua morte fosse um erro. Marcello Natali, amigo de todos os tempos, não merecias isto. Não merecemos isto”, escreveu.

Marcello Natali é um dos 13 profissionais de saúde que, desde quinta-feira, morreram na linha da frente do combate à pandemia.

Esta sexta-feira, Itália registou mais 627 mortos. Já morreram mais de quatro mil pessoas devido ao novo coronavírus no país.

/ HCL