A polícia britânica afirmou este domingo que não está a considerar como terrorista o ataque em Reading, a oeste de Londres, onde três pessoas foram mortas no sábado à noite.

"Os factos não são, neste momento, considerados de natureza terrorista", mas os investigadores "mantêm em aberto qualquer possibilidade quanto aos motivos" do ataque e estão a trabalhar com a polícia antiterrorista, declarou, em comunicado o comissário-chefe Ian Hunter.

Hunter acrescentou ter sido aberto um inquérito por homicídio e salientou que os motivos ainda não são conhecidos.

A polícia e os serviços de socorro intervieram na sequência de contactos que davam conta de vários feridos apunhalados em Forbury Gardens, pelas 19:00 (mesma hora em Lisboa), no centro da cidade de Reading (200 mil habitantes) a cerca de 60 quilómetros de Londres.

As autoridades confirmaram que três pessoas morreram e três ficaram gravemente feridas no ataque.

Um homem de 25 anos, natural da cidade, foi detido no local por homicídio, indicou a polícia.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse que os seus "pensamentos estão com todos aqueles que foram afetados pelo terrível incidente em Reading", numa mensagem na rede social Twitter. "Os meus agradecimentos aos serviços de emergência no local", acrescentou.

Também a ministra do Interior britânica, Priti Patel, manifestou-se "profundamente preocupada" com o ocorrido.

O incidente ocorreu algumas horas nas proximidades do local onde algumas horas antes tinha decorrido uma manifestação do movimento antirracismo "Black Lives Matter", mas a organização e a polícia consideraram não existir qualquer ligação, uma vez que o ataque aconteceu três horas após o fim do protesto.

/ RL