Na final da Liga dos Campeões, Virgil van Dijk voltou a fazer uma exibição imperial, tendo acabado eleito o MVP da final.

E se o nome do defesa central já era apontado por vários especialistas como um dos mais prováveis candidatos à Bola de Ouro de 2019, a conquista da Liga dos Campeões deu ainda mais força a essa possibilidade.

Mas o que justifica, afinal, tanta admiração pela época da Van Dijk? O Maisfutebol foi procurar as justificações, com ajuda da Sofascore, que analisou a época do holandês através das estatísticas da Opta.

E desde logo, há um dado impressionante, ainda para mais para um defesa central. Sabe quantos dribles sofreu Van Dijk esta época, em 50 jogos? Zero. Bola (de Ouro?).

Isso mesmo, nenhum jogador conseguiu ter arte para passar pelo gigante do Liverpool esta época, o que fez dele o único defesa com tal registo nas cinco maiores ligas, esta época.

Na final da Champions, o holandês, que vai estar na próxima semana em Portugal a lutar pela Liga das Nações, cumpriu o 64.º jogo consecutivo sem sofrer um drible.

Durante a época que agora chega ao fim - e na qual ainda pode vencer a Liga das Nações em Portugal -, Van Dijk fez ainda 50 interceções, igual número de desarmes, 258 alívios, bloqueou 25 remates e ganhou 73 por cento dos duelos que disputou.

E além de ser preponderante na defesa, o camisola quatro do Liverpool é ainda muito útil no ataque, com seis golos e quatro assistências nesta época.

São números que valem a Bola de Ouro?