A incidência de casos de covid-19 na Alemanha está a aumentar, e de forma continuada, registando hoje 10,3 casos por 100.000 habitantes em sete dias, segundo dados atualizados do Instituto Robert Koch (RKI).

No domingo, o país registou 10 casos por 100.000 habitantes em sete dias, quando haá uma semana, esse fator era de 6,4 casos.

A incidência semanal por 100.000 habitantes é o principal fator na Alemanha para determinar os níveis de atuação do governo, que começam a ser ativados após 35 casos por 100.000 habitantes em sete dias e a subir gradualmente.

Em Berlim, a incidência registada foi de 15,8 casos por 100 mil habitantes em sete dias, o que coloca a região no patamar mais alto do país em escala regional.

Nas últimas 24 horas foram registados 546 casos de contágio.

Desde o início da pandemia, 3,7 milhões de casos foram confirmados na Alemanha, dos quais 91.363 resultaram em morte.

O pico da incidência semanal foi atingido em dezembro, com 196,7 casos por 100.000 habitantes, situação que precipitou o encerramento do comércio, da vida cultural, restaurantes e outros serviços não essenciais.

No final de maio, após manter duras restrições por meses, embora sem limitação geral à mobilidade, um declínio contínuo foi alcançado até que a média nacional fosse inferior a 100 casos.

O ministro da Economia alemão, o conservador Peter Altmaier, descartou neste fim de semana a possibilidade de novos encerramentos na restauração ou no comércio.

Não há razão para adotar medidas desse tipo até que haja um agravamento na situação da saúde pública, o que não se prevê, segundo o ministro.

Cerca de 46% da população tem a vacinação completa e 60% dos alemães receberam pelo menos a primeira dose, segundo os dados mais recentes do RKI.

/ CM