Uma criança de cinco anos morreu e mais de 800 pessoas foram hospitalizadas com uma intoxicação alimentar depois de terem comido num restaurante nos arredores da capital da Jordânia, Amã.

De acordo com a imprensa local, nota a BBC, o restaurante vende shawarmas (pita shoarma), uma espécie de sandes de carne assada, a um preço reduzido. As autoridades de saúde anunciaram que a carne não foi conservada de forma apropriada, dadas as altas temperaturas que se registam no país.

Três pessoas, incluindo o dono do restaurante, foram detidas.

De acordo com as autoridades de saúde, o menino foi uma das 826 pessoas que foram levadas para o hospital, após terem sido detetados os primeiros sinais de intoxicação alimentar na área de Ain al-Bashra, a noroeste de Amã, na noite de segunda-feira.

A criança apresentava insuficiência cardíaca e, “apesar de todos os esforços, a equipa médica não conseguiu salvá-lo”, disse Mohammad Abed, diretor do Hospital Prince Hussein, à agência de notícias Petra, citado pela BBC.

Na quarta-feira, quatro pessoas continuavam nos cuidados intensivos e outras 321 estavam internadas em situação estável, disse o ministro da saúde, Saad Jaber.

"Todas as pessoas disseram ter comido no mesmo restaurante", disse o governante à agência noticiosa AFP.

A imprensa revelou ainda que as refeições em causa estavam com um desconto especial - a metade do preço - o que resultou num número de clientes maior do que o habitual.

À medida que decorrem as investigações, Adnan Ishaq, um funcionário do Ministério da Saúde disse que a carne "apodreceu" porque não foi refrigerada. Adicionalmente, testes laboratoriais detetaram a presença de bactérias na carne.

A Jordânia tem registado temperaturas elevadas nos últimos dias. Em Amã, os termómetros têm chegado aos 40 graus.

Lara Ferin