A polícia federal dos Estado Unidos, FBI, anunciou hoje que reabriu a investigação sobre o email da candidata presidencial democrata Hillary Clinton, quando era secretária de Estado, depois da descoberta de novas mensagens "que parecem ser pertinentes".

O diretor do FBI, James Comey, disse que a polícia federal "dará passos apropriados de investigação" para decidir se um novo conjunto de mensagens de correio eletrónico da Hillary Clinton contém informação classificada e para "decidir da sua importância para a investigação".

O caso do email de Hillary Clinton refere-se à utilização pela então chefe da diplomacia dos Estados Unidos de um servidor privado, em vez dos equipamentos oficiais.

Hillary contra-ataca

Em campanha eleitoral, a equipa de Hillary Clinton já reagiu. Anteriormente, já a então secretária de Estado reconhecera que errara, quando usou o seu mail pessoal para despachar assuntos de Estado. Pensando que o caso estaria encerrado, a equipa da agora candidata desafia a polícia federal a dizer o que pretende. Sem demoras.

O diretor do FBI tem a obrigação de comunicar imediatamente ao povo norte-americano todos os detalhes do que está agora a investigar", desafiou o chefe de campanha de Hillary, John Podesta.

Estamos confiantes que isto não irá produzir conclusões diferentes das que o FBI obteve em julho", acrescentou Podesta.

Então, o caso acabou por ser arquivado.