Uma investigação sobre gravidez pós-termo foi cancelada, na Suécia, depois da morte de seis bebés de mães que permitiram que as suas gravidezes continuassem até às 43 semanas, avança o The Guardian. O estudo do hospital universitário de Sahlgrenska de Gotemburgo foi cancelado ao fim de um ano depois de cinco mortes fetais e uma morte prematura.

"Acreditamos que não seria ético continuar" com o estudo, disseram os investigadores.

Este tipo de investigação requer um grande número de mulheres para que tenha significado estatístico. Realizado no hospital sueco, o estudo Swepis convidou cerca de dez mil mulheres, de 14 hospitais, grávidas de 40 semanas, a juntar-se ao estudo para induzir o parto no início da 42.ª ou 43.ª semana, a não ser que acontecesse de forma espontânea.

/ AM