O Parlamento Europeu levantou a imunidade do eurodeputado grego Ioannis Lagos, ex-membro do partido neonazi Aurora Dourada, condenado no seu país a 13 anos e oito meses de prisão por "dirigir uma organização criminosa", foi esta terça-feira anunciado.

O levantamento da imunidade parlamentar foi decidido por uma vasta maioria de 658 eurodeputados.

Outros 25 parlamentares votaram contra e 10 abstiveram-se, numa votação em plenário que decorreu na segunda-feira à noite por voto secreto.

O processo foi lançado a pedido das autoridades gregas, que deverão agora emitir um mandado de captura europeu contra Ioannis Lagos.

O eurodeputado, de 48 anos, está entre cerca de 40 membros do Aurora Dourada condenados em outubro em Atenas num julgamento de cinco anos e meio pela morte do ativista de esquerda Pavlos Fyssas, assassinado por um apoiante do partido de extrema-direita.

O líder do Aurora Dourada, Nikos Michaloliakos, e a maioria dos condenados estão já na prisão, enquanto o número dois do partido, Christos Pappas, está fugido à justiça.

Ioannis Lagos, que vive em Bruxelas, beneficiava de imunidade parlamentar desde que foi eleito em julho de 2019 para o Parlamento Europeu pelo Aurora Dourada, partido que abandonou meses mais tarde para se tornar independente.

O Aurora Dourada foi fundado como grupo neonazi na década de 80 do século passado, tendo ganho popularidade durante a crise financeira de 2010-2018, o que lhe permitiu ter representação parlamentar entre 2012 e 2019.

/ RL