O Supremo Tribunal de Justiça das Ilhas Baleares decidiu retirar o nome da Infanta Cristina do processo de desvio de fundos públicos que envolve a Fundação Nóos. A filha do rei tinha sido indiciada no processo que envolve o seu marido, Iñaki Urdangarin, mas a justiça considerou agora que não existem indícios suficientes para sustentar a acusação.

De acordo com o jornal «El País», apenas um dos três juízes deste tribunal considerou que a infanta teria de ser indiciada ¿ venceu a maioria na apreciação de um requerimento que pedia a retirada do seu nome do processo. Ainda assim, o tribunal esclarece que esta decisão é provisória.

Três milhões de euros terá sido quanto o genro do rei Juan Carlos de Espanha e o sócio Diego Torres receberam diretamente da fundação Nóos.

Um milhão e cem mil euros foram parar às mãos do Duque de Palma e da Infanta Cristina, incluindo dinheiro recebido por uma sociedade que têm em conjunto. O empresário Torres e a mulher receberam um milhão e 900 mil euros.