Notícia atualizada às 03:35

A Malaysia Airlines «perdeu contacto» com um avião com 239 passageiros a bordo, acaba de anunciar a companhia aérea, nesta sexta-feira.

O controlo de tráfico aéreo não consegue localizar o voo MH370, entre Kuala Lumpur e Pequim, na China, que desapareceu às 02:40 de sábado (18:40 de sexta-feira em Lisboa).

As autoridades já iniciaram os procedimentos «de busca e salvamento» do Boeing 777-200, que deixou o aeroporto internacional de Kuala Lumpur às 12:41 locais (cerca da meia-noite) e deveria ter chegado a Pequim pelas 06:30 (22:30 de Lisboa).

«A bordo seguiam 227 passageiros, incluindo duas crianças, e 12 tripulantes», divulgou ainda a companhia malaia em comunicado.

Em declarações à CNN, a Malaysia Airlines revelou que o avião tinha combustível para 7,5 horas de voo e já estará sem combustível.

«Neste momento, não fazemos ideia onde é que o avião está», afirmou o vice-presidente das Operações de Controlo da Malaysia Airlines, Fuad Sharuji.

No entanto, de acordo com a agência Xinhua, o Boeing 777 desapareceu dos radares no espaço aéreo controlado do Vietname.

Autoridades perderam o contacto às 2h40 (19h40 em Lisboa)

Num novo comunicado, a Malaysia Airlines revela que perdeu o contacto com o voo MH370 às 19h40 de Lisboa.

«O Controlo de Tráfego Aéreo de Subang reportou que perdeu o contacto às 2h40 (horário local - 19h40 em Lisboa) de hoje», pode ler-se no comunicado do CEO, Ahmad Jauhari Yahya.

«A Malaysia Airlines está a trabalhar com as autoridades que ativaram as equipas de Buscas e Salvamento para localizar a aeronave. A nossa equipa está a contactar os familiares dos passageiros e tripulação», lê-se ainda no comunicado que revela que os passageiros eram de 14 nacionalidades diferentes.

De acordo com a Malaysia Airlines seguiam a bordo do voo com destino a Pequim 152 passageiros chineses (mais uma criança) 38 malaios, 12 indonésios, 7 australianos, 3 franceses, 3 norte-americanos (mais uma criança), 2 neozelandeses, 2 ucranianos, 2 canadenses, 1 russo, 1 italiano, 1 tailandês, 1 holandês e 1 austríaco.

Rumores de aterragem em Nanming

No comunicado emitido às 3h30, as linhas aéreas da Malásia referem que «há rumores de que o avião aterrou em Nanming», sendo que as autoridades estão a tentar confirmar esses rumores.

«O voo era pilotado pelo Comandante Zaharie Ahmad Shah, malaio de 53 anos. Ele tinha 18,365 horas de voo. Entrou para a companhia em 1981. O primeiro comandante do voo era Fariq Ab. Hamid, malaio de 27 anos. Tinha um total de 2,763 horas de voo. Entrou para a companhia em 2007», pode ler-se ainda.

Redação / CM/AM