A queda de um avião ucraniano perto da capital do Irão provocou esta quarta-feira a morte de todas as pessoas que seguiam a bordo, informaram as autoridades de emergência iranianas.

Pelo menos 170 pessoas, entre passageiros e tripulantes, seguiam a bordo do Boeing 737 da Ukraine International Airlines, que se despenhou pouco depois de descolar do aeroporto internacional Imam Khomeini, em Teerão. 

Segundo o governo ucraniano, citado pela AFP, a bordo do avião seguiam 82 iranianos e 63 pessoas de nacionalidade canadiana. Havia ainda 11 passageiros ucranianos, 10 suecos, quatro afegãos, três alemães e três britânicos, de acordo com as últimas informações disponíveis. A companhia aérea já informou que a aeronave era nova e tinha sido inspecionada há apenas dois dias.

Segundo agências internacionais, o avião da Ukraine International Airlines caiu num terreno agrícola a sudoeste de Teerão, para onde já foi mobilizada uma equipa de investigação.

O acidente aconteceu pouco depois das seis da manhã em Teerão (mais três horas e meia do que em Lisboa).

As primeiras indicações disponibilizadas pelas autoridades iranianas apontaram para a existência de problemas mecânicos.

O avião caiu cinco minutos depois de descolar", disse um porta-voz da aviação civil iraniana, Reza Jafarzadeh, citado pelo The Guardian. "O piloto não estabeleceu contacto com a torre de controlo e não declarou emergência antes do acidente", disse a mesma fonte.

Um vídeo, alegadamente divulgado pela ISNA, uma agência de notícias universitária iraniana, mostra o avião a incendiar-se pouco depois de descolar. 

O acidente ocorreu horas depois do lançamento de dezenas de mísseis iranianos contra duas bases em Ain Assad e Arbil, no Iraque, utilizadas pelo exército norte-americano, numa operação de vingança pela morte do general iraniano Qassem Soleimani.

O Boeing 737-800 é um avião a jato de curto a médio alcance. Milhares destas aeronaves são usadas por companhias aéreas em todo o mundo.

/ BC - atualizada às 8:32