O marido de uma iraniano-britânica detida no Irão, Nazanin Zaghari-Ratcliffe, que foi notificada de uma nova acusação, suplicou hoje às autoridades britânicas que “façam tudo para a proteger”, começando por assistir ao seu julgamento no domingo.

É importante que o Governo britânico faça tudo para a proteger”, pediu Richard Ratcliffe num comunicado, “a começar com a embaixada britânica a insistir para assistir ao julgamento de Nazanin no domingo e para que a proteção diplomática do Reino Unido seja tratada com respeito”.

Funcionária da Fundação Thomson Reuters – ramo filantrópico da agência noticiosa canadiano-britânica com o mesmo nome -, Zaghari-Ratcliffe foi detida com a sua filha em abril de 2016 no Irão, onde tinha visitado a família.

Acusada de ter procurado derrubar o regime iraniano, o que nega, foi condenada a cinco anos de prisão em setembro do mesmo ano. Na primavera conseguiu uma saída temporária da prisão de Evin, em Teerão, devido à pandemia do novo coronavírus e ficou em prisão domiciliária com pulseira eletrónica.

Na terça-feira, foi notificada de uma nova acusação, segundo a televisão estatal iraniana, que não precisou que culpa lhe é imputada.

Quando pensávamos estar próximos de uma libertação nos últimos meses, Nazanin foi levada ontem perante o Tribunal Revolucionário para um segundo processo. O julgamento realiza-se no domingo”, escreveu o marido, que vive em Londres com a filha.

A nova acusação foi considerada “injustificável” por Londres.

Apresentar novas acusações contra Nazanin Zaghari-Ratcliffe é injustificável e inaceitável. Sempre defendemos que ela não deveria voltar para a prisão", disse um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros na terça-feira.

Richard Ratcliffe insiste que “o caso é ilegal segundo a lei iraniana, assim como o facto de Nazarin não ter sido libertada em março”, quando dezenas de milhares de pessoas puderam abandonar as sobrelotadas prisões iranianas após o início da pandemia da covid-19.

O marido considera que a sua mulher é “refém” de Teerão que a utiliza como meio de pressão para exigir a Londres o pagamento de uma antiga dívida britânica.

O diário britânico Guardian noticiou na sexta-feira que o ministro da Defesa do Reino Unido, Ben Wallace, tinha reconhecido pela primeira vez que tentava "ativamente" pagar aquela dívida para permitir a libertação de Zaghari-Ratcliffe e de outros detidos iraniano-britânicos.

/ BC