A vacina da Pfizer contra a covid-19 é 98,9% eficaz na prevenção de mortes e hospitalizações, revelou este sábado o Ministério da Saúde de Israel, país que é o que mais vacinas deu em todo o mundo.

Na apresentação dos resultos, o governo adiantou ainda que a taxa de infeção diminuiu em 95,8% na população que levou as duas doses da vacina da farmacêutica norte-americana, que desenvolveu o produto com a BioNTech.

A vacina da Pfizer foi ainda eficaz em 98% na prevenção de infeções que causam febre ou problemas respiratórios.

Os resultados são baseados num estudo conduzido a nível nacional no dia 13 de fevereiro, incidindo em pessoas que levaram as duas injeções nas duas semanas anteriores à investigação.

Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 1,7 milhões de pessoas foram já totalmente imunizadas a 30 de janeiro, o que corresponde a quase 20% do total da população do país.

Estudos anteriores de vários institutos de saúde israelitas já tinha concluído que a vacina da Pfizer apresentava resultados positivos, o que acabou por levar à decisão do Governo de levantar algumas das restrições, depois de várias semanas em confinamento.

A partir de domingo, todas as escolas e várias lojas poderão voltar a abrir.

O Ministério da Saúde adiantou ainda que vai ser introduzida uma aplicação móvel para aqueles que já foram vacinados. Depois de totalmente imunizadas, estas pessoas poderão passar a mostrar o "passe verde" em hotéis, museus ou recintos desportivos.

António Guimarães