A Turquia deteve hoje 52 cidadãos sírios suspeitos de ligação ao grupo extremista Estado Islâmico numa operação na cidade de Bursa, a cerca de 100 quilómetros a sul de Istambul, noticia a agência estatal Anadolu.

Os suspeitos, detidos em cinco residências em dois bairros de Bursa, foram levados para as instações da polícia antiterrorista, acrescenta a Anadolu, sem fornecer mais informações sobre o inquérito.

O diário Milliyet acrescenta que a operação foi concretizada com o apoio de veículos blindados e que a polícia apreendeu documentos e material digital.

A Turquia foi, em 2015 e 2016, alvo de numerosos atentados atribuídos ou reivindicados pelo EI que fizeram cerca de 300 mortos.

O último desses atentados fez 39 mortos, sobretudo estrangeiros, numa discoteca de Istambul na madrugada do ano novo, em 2017.

Desde então, a polícia turca realiza com frequência operações contra as redes do Estado Islâmico (EI) e, segundo dados do Ministério do Interior, detém uma média de 30 suspeitos por semana.

Durante o ano de 2018, os agentes detiveram 3.038 pessoas em operações contra o EI, mas não é claro quantos deles foram julgados.

Há um ano havia 1.354 pessoas em prisão preventiva sob acusação de pertencer ao EI.

A Turquia acolhe mais de 3,5 milhões de refugiados sírios que fugiram do conflito no país.