A cidade italiana de Pescara acordou com um pedido de ajuda silencioso: várias mãos ergueram-se do chão, em busca de auxílio, numa das praças principais. Estas mãos não são de verdade, mas simbolizam pessoas reais: os migrantes que têm perdido a vida no mar, ao largo da costa italiana. O protesto artístico aconteceu esta quinta-feira, dia em que o ministro do Interior de Itália, Matteo Salvini, passava pela região.

Além das várias mãos colocadas sobre o chão, a instalação incluiu ainda um cartaz com uma mensagem dirigida diretamente a Salvini, que esta quinta-feira visitou esta cidade costeira:

Ministro, tenha a liberdade se se expressar aqui, com os seus eleitores e as suas ideias desumanas sobre a sociedade, aqui, nestas mãos que se afundam silenciosamente como os que, no mar, perderam a vida.”

O protesto silencioso foi criado pela “Rete Oltre il Ponte”, uma rede de organizações não governamentais que trabalham na região para integrar migrantes.

Segundo as Nações Unidas, cerca de 2.275 migrantes morreram ou foram dados como desaparecidos no mar, quando tentavam chegar à Europa.

O ministro do Interior de Itália, Matteo Salvini, dirigente do partido nacionalista Liga do Norte, tem defendido políticas de imigração muito duras e restritivas.

No início da semana, uma instalação semelhante aconteceu em Atri. Aqui, o protesto acabou por ser removido pela polícia, que identificou três pessoas, embora nenhuma tenha sido acusada de qualquer crime.