Os corpos de dois homens e de três mulheres foram recuperados dos escombros de um hotel em Farindola, no centro de Itália, soterrado por uma avalanche na semana passada, elevando a 16 o número de vítimas mortais.

O número de desaparecidos está fixado em 13.

Desde que na passada sexta-feira foram localizados nove sobreviventes, incluindo as quatro crianças que estavam desaparecidas, não voltou a haver sinais de vida debaixo das toneladas de neve que atingiram o hotel de luxo na passada quarta-feira, dia 18 de janeiro.

Itália tremeu durante uma hora a 18 de janeiro, depois o risco de acidentes relacionados com a neve fez estremecer as autoridades. Na madrugada aconteceu o que todos temiam, uma avalanche deixou o hotel Rigopiano soterrado com mais de 30 pessoas no interior.

As primeiras horas depois da avalanche confirmavam o pior dos cenários: debaixo das toneladas de neve haveria muitos mortos. Os acessos ao local eram difíceis e as condições meteorológicas adversas, mas foram mobilizados, de imediato, duas dezenas de bombeiros, equipas de busca e salvamento em montanha e seis ambulâncias.

Até esta segunda-feira foram resgatadas 11 pessoas e três cães