Comprar uma casa ao preço de um café? Sim, na cidade italiana de Sambuca, Sicília, é possível adquirir habitações por este valor. Dezenas de casas foram colocadas no mercado e custam um dólar, ou pouco mais que isso. O objetivo é evitar que a herança daquela região se perca.

Embora tenha sido considerada, em 2016, uma das cidades mais bonitas de Itália por um concurso interno, Sambuca tem, nos últimos anos, perdido a maior parte da população. Os habitantes começaram a deslocar-se para as grandes cidades.

A venda das casas tem por objetivo a recuperação dessa mesma população, evitando que a cidade com vista para o Mediterrâneo perca os moradores na sua totalidade, bem como a herança história e natural da região.

Estas ofertas não são uma novidade para os italianos. Outras oportunidades igualmente tentadoras já tinham sido oferecidas, porém, desta vez, a cidade quer descartar qualquer tipo de burocracia, de forma a possibilitar compras imediatas por parte dos interessados.

Ao contrário de outras cidades que fizeram isto apenas para propaganda, esta região tem todas as casas à venda por um euro", garantiu Giuseppe Cacioppo, vice-presidente da câmara de Sambuca e conselheiro do Turismo.

Mas há condições. Quem quiser comprar uma das casas terá de aceitar investir pelo menos 15 mil euros para remodelá-la, num prazo de três anos. A este valor é acrescentada uma caução de cinco mil euros, devolvida no fim da renovação da habitação.

Os compradores não vão ficar desapontados", garantiu Cacioppo.

Fundada pelos gregos antigos, é nesta cidade que reside a alma árabe da Sicília. Conhecida como a Cidade do Esplendor, o autarca afirma que esta se situa "numa reserva natural, repleta de história. Praias lindíssimas, bosques e montanhas". "É silencioso e tranquilo", acrescentou antes de dizer que é o destino ideal para uma "estadia desintoxicante".

A alemã Susanna Heinson já comprou uma casa e diz sentir-se orgulhosa por fazer parte da reconstrução da cidade.

Mal posso esperar para passar o próximo verão em Sambuca", disse. "É um lugar adorável e especial. As pessoas são muito recetivas e amigáveis. Bons restaurantes, ótimos produtos vinícolas. Sentimo-nos em casa", acrescentou.

Gastronomia local é um extra

Além da privilegiada localização da cidade, a poucos quilómetros de Selinunte e do Vale dos Templos, Sambuca também surpreende no que toca a comida e a vinho.

O vinho é feito na região desde a época dos antigos gregos e é atualmente exportado para todo o mundo. As vinhas da cidade italiana chegam mesmo a estender-se até ao mar.

Em relação à comida, esta é outra das várias atrações da cidade. O pão e as massas ainda são feitos a partir de moinhos antigos, utilizando não só os métodos tradicionais como também antigas variedades de trigo, como por exemplo Tumminia.

Entre as inúmeras especialidades que chamam anualmente a atenção dos turistas, estas são as que mais se destacam: Cucciddatu, um donut com pimenta, queijo e salsinhas; as omeletes "da avó", feitas com flores e limão; Vestedda, um queijo especial de leite de ovelha, com uma forma plana semelhante à de uma pizza; os bolos de amêndoa e os raviolis recheados de ricotta doce cobertos de açúcar polvilhado.

Imagine tomar o pequeno-almoço todas as manhãs com um destes bolos: quem não iria babar-se só de pensar nisso?" questionou Cacioppo.

Reconhecida não só pela localização, pelas paisagens sobre o Mediterrâneo, pela gastronomia e ainda pela história cultural muito presente nas ruas da cidade, dez casas já foram vendidas mas ainda estão disponíveis dezenas de outras.

Estamos a receber muitos pedidos", disse Cacioppo.

Suíços, franceses e espanhóis já estabeleceram contacto com o conselheiro do Turismo da cidade.