A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Arden, manteve a calma durante um sismo que abalou a capital, Wellington, nesta sexta-feira, enquanto discursava à nação, em direto, sobre a evolução do combate à pandemia no país.

O sismo, de magnitude 5.9 na escala de Richter, foi sentido na capital neozelandesa e nas zonas próximas. Apesar do abalo, não há registos de danos ou de pessoas feridas.

Assim que sentiu o tremor de terra, Jacinda Arden agarrou-se por instantes ao pódio onde discursava, antes de sorrir e dirigir-se a uma jornalista, perguntando-lhe: “Desculpe, houve uma pequena distração. Pode repetir a pergunta?”

No final do discurso, a primeira-ministra explicou aos jornalistas que o vice-primeiro-ministro, Grant Robertson, que estava ao seu lado no momento do abalo, não estava totalmente convencido de que a “distração” se tratasse de um sismo, acreditando mesmo que o incidente não tinha passado de uma rajada de vento.

A atividade sísmica é bastante comum na Nova Zelândia, dada a sua localização no “Anel de Fogo”, um arco de vulcões e fossas oceânicas de 40 mil quilómetros, que rodeia grande parte do Oceano Pacífico.

Redação