Nos Estados Unidos, pais e alunos da escola secundária Bartram Trail High School, em Jacksonville, no estado da Florida, estão revoltados depois de as fotos de 80 alunas terem sido digitalmente editadas para esconder os decotes das menores.

Duas das raparigas que viram o peito ser coberto através de programas de edição de imagem são Riley O’Keefe e Zoe Iannone. As alunas explicaram à NBC como reagiram ao verem as suas próprias fotografias alteradas no anuário letivo.

A reação inicial foi surpresa e choque. A revolta é cada vez maior, sinto-me enojada, envergonhada e obejtificada”, disse Zoe Iannone à NBC.

O estabelecimento de ensino justifica a edição das imagens por considerar que as 80 raparigas estavam a infringir o código de vestuário.

Todas as imagens e fotografias dos alunos devem ser consistentes com o Código de Conduta do St. Johns County School District ou podem ser ajustadas digitalmente”, pode ler-se no site do liceu norte-americano.

A instituição educacional explica ainda que “a indumentária pessoal pode adequar-se às tendências quotidianas, mas vestuário que seja indecente, revelador ou distrativo para os demais são completamente inaceitáveis”.

O Código de Conduta está disponível no site da escola secundária. Pode ler-se que “vestidos ou tops com decotes acentuados não podem ser usados. Calções extremamente curtos não são permitidos. Saias não devem ser mais curtas do que cerca de 10 centímetros acima do joelho” e ainda que “roupas reveladoras, pijamas e roupa interior não são aceitáveis”.

Foi muito desconfortável perceber a maneira como olhavam para as nossas fotografias", confessa Riley O’Keefe.

Nuno Mandeiro