O Tribunal Constitucional da África do Sul condenou esta terça-feira o ex-presidente Jacob Zuma (2009-2018) a 15 meses de prisão por desrespeito ao tribunal, ao recusar repetidamente cumprir a citação que lhe exigia o testemunho em investigações de corrupção.

A sentença lida no mais alto tribunal da África do Sul em Joanesburgo pelo juiz Sisi Khampe afirma que Zuma procurou minar a autoridade do poder judicial com "egrégio" e "ataques calculados" e que não há outra opção senão enviar uma "mensagem retumbante", para garantir o Estado de direito e a confiança da sociedade nos tribunais.

Zuma, de acordo com a decisão, deve entregar-se à polícia no prazo de cinco dias, caso contrário, o tribunal determina que o Estado, através do Ministério da Segurança, deve assegurar que as ordens sejam cumpridas.

/ HCL