O Brasil está a ser atingido por fortes incêndios e a Amazónia é a zona que mais arde. Os fogos na floresta tropical já são visíveis do espaço, segundo imagens divulgadas pela NASA e a dimensão é tão grande que a cidade de São Paulo ficou parcialmente às escuras a meio da tarde desta segunda-feira, como consequência das nuvens de fumo vindas da floresta. O limite legal da Amazónia mais próximo de São Paulo fica a mais de 1000 quilómetros da cidade.

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, já veio reagir às notícias, aproveitando para se vitimizar perante as acusações de ser o responsável pela destruição da Amazónia: "Agora estou a ser acusado de incendiar a Amazónia. Nero! É o Nero a por fogo a Amazónia", atirou o presidente brasileiro, em referência ao imperador romano que incendiou a antiga cidade imperial.

Jair Bolsonaro insinuou que algumas das ONG's que trabalham na Amazónia podem ser responsáveis pelos incêndios, numa alegada campanha contra o presidente brasileiro.

Pode estar a haver ação criminosa das pessoas das ONG's para chamar a atenção contra a minha pessoa, contra o governo do Brasil. Essa é a guerra que nós enfrentamos", afirmou.

Os habitantes de São Paulo apressaram-se a partilhar as várias imagens do "apagão" da cidade, ironizando a situação: "Uma bonita fotografia da vida noturna em São Paulo. Não. Não é. Isto é São Paulo às 15:00."

Um dos residentes recorda mesmo que a zona onde os fogos lavram com mais intesidade fica a 3300 quilómetros de São Paulo: "Atenas é mais perto de Londres que Boa Vista de São Paulo".

Em concordância com Jair Bolsonaro, o ministro do Ambiente brasileiro, Ricardo Salles, apelidou de fake news as notícias de que o fumo dos incêndios tenha provocado a escuridão em São Paulo.

Aproveito para comentar o fumo ou a escuridão que se fez em São Paulo e que alguns dizem que é fumo da Amazónia que encobriu a cidade. Essa afirmação parece um vídeo que vi há um mês atrás, de um helicóptero a ser recebido a tiros e meia hora depois mostraram que tinha sido um menino a fazer essa montagem", afirmou Ricardo Salles em conferência de imprensa.

Embora o governo brasileiro desvalorize a situação, vários serviços de meteorologia confirmaram a escuridão como consequência dos fogos na Amazónia.

Os incêndios na Amazónia ocorrem numa altura em que vários dados apontam para uma rápida desflorestação da zona, sobretudo desde que Jair Bolsonaro assumiu funções como presidente do Brasil. A Amazónia é considerada o pulmão do planeta Terra e tem sofrido graves consequências do aquecimento global. Esta vaga de incêndios vem adensar o problema.

/ AG