O governo brasileiro informou esta quarta-feira que o presidente Jair Bolsonaro fará exames para avaliar uma eventual cirurgia de emergência, tendo o chefe de Estado responsabilizado o ataque à faca que sofreu em 2018 pelos problemas de saúde que enfrenta.

Após exames realizados no Hospital das Forças Armadas (HFA) em Brasília, o Dr. Macedo, médico responsável pelas cirurgias no abdómen do Presidente da República, decorrentes do atentado à faca ocorrido em 2018, constatou uma obstrução intestinal e resolveu levá-lo para São Paulo onde fará exames complementares para definição da necessidade, ou não, de uma cirurgia de emergência", indicou a Secretaria Especial de Comunicação Social em comunicado.

Posteriormente, Jair Bolsonaro recorreu às redes sociais para atribuir a crise de soluços que enfrenta, e que o poderá levar a uma cirurgia, ao ataque que sofreu em 2018, durante a campanha eleitoral.

Mais um desafio, consequência da tentativa de assassinato promovida por antigo filiado ao PSOL [Partido Socialismo e Liberdade, esquerda], braço esquerdo do PT [Partidos dos Trabalhadores], para impedir a vitória de milhões de brasileiros que queriam mudanças para o Brasil. Um atentado cruel não só contra mim, mas contra a nossa democracia", escreveu Bolsonaro na rede social Twitter.

Bolsonaro aproveitou para declarar que fará o que "for preciso para tirar o país de vez das garras da corrupção", num momento em que o seu Governo se encontra a ser investigado por alegadas irregularidades na compra de vacinas contra a covid-19 e o próprio chefe de Estado é investigado por prevaricação.

"Agradeço a todos pelo apoio e pelas orações. É isso que nos motiva a seguir em frente e enfrentar tudo que for preciso para tirar o país de vez das garras da corrupção, da inversão de valores, do crime organizado, e para garantir e proteger a liberdade do nosso povo", acrescentou.

Bolsonaro apelou a que "cada um que está a ler" as suas mensagens "jamais desista das cores e dos valores" do Brasil.

"Temos riquezas e um povo maravilhoso que nenhum país no mundo tem. Com honestidade, com honra e com Deus no coração é possível mudar a realidade do nosso Brasil. Assim seguirei!", concluiu.

Jair Bolsonaro foi internado hoje para fazer exames e descobrir a causa de uma crise de soluços que o afeta há mais de uma semana, anunciou a Secretaria Especial de Comunicação do Governo.

Apesar de membros do Governo terem usado as redes sociais para dizer que o Presidente estava "bem" e "apenas em observação", o executivo confirma agora que poderá passar por uma cirurgia.

Em 06 de setembro de 2018, durante um comício eleitoral em Juiz de Fora, em Minas Gerais, o então candidato presidencial Jair Bolsonaro sofreu um ataque com faca, tendo sido posteriormente submetido a várias cirurgias.

O autor do ataque foi detido no mesmo dia, mas acabou por ser absolvido pela justiça, que considerou que tinha problemas mentais. A detenção preventiva do autor confesso do ataque foi convertida em internamento psiquiátrico por tempo indeterminado.

Desde que assumiu o cargo presidencial, em janeiro de 2019, Bolsonaro teve vários problemas de saúde decorrentes do esfaqueamento, tendo passado por várias cirurgias.

/ RL